Secretaria de Saúde lança campanha de combate ao mosquito


O Rio de Janeiro tem um novo herói: Dezinho, um menino típico carioca, chegou para ensinar crianças, jovens e adultos sobre a importância da mobilização popular no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Lançado nesta sexta-feira (10/2), o personagem já recebeu o apoio de crianças, jovens e artistas, como os cantores Naldo Benny e Neguinho da Beija Flor, que criaram composições especialmente para o novo herói.

 Crédito: Maurício Bazilio

 Crédito: Maurício Bazilio

 Crédito: Maurício Bazilio

A Cidade do Samba foi o palco do lançamento oficial do personagem, em um evento que contou com a presença do sambista, acompanhado da bateria da azul e branca de Nilópolis, e do secretário estadual de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Jr.

- As crianças têm grande poder de mobilização e vão nos ajudar a mostrar para toda a sociedade que, para vencer esse inimigo, é preciso que cada um faça a sua parte. Nosso personagem vai ensinar a todos que bastam dez minutos, uma vez por semana, para vistoriar nossas casas e eliminar possíveis focos do mosquito, evitando a água parada. Até mesmo por conta da crise financeira, decidimos neste ano por uma campanha criativa e colaborativa, utilizando a internet e o celular como principais meios de comunicação. A grande mensagem é: todo mundo pode se transformar no Dezinho - afirmou o secretário.

Grandes protagonistas na missão de conscientizar a todos sobre a necessidade da mobilização popular, as crianças mostraram que já estão prontas para ensinar a todos sobre o perigo que o mosquito representa. Pequena passista do projeto social Sonho do Beija Flor, da agremiação de Nilópolis, Kevelyn, de seis anos, mostrou que já sabe como combater o vilão transmissor de doenças.

- Eu gostei do Dezinho, ele é muito legal. Na minha casa, a gente não deixa nenhum lugar com água parada, para o mosquito não nascer - contou ela, que mora em Nilópolis com família.

Logo cedo, Dezinho esteve no Colégio Estadual Pedro Álvares Cabral, onde ensinou professores e alunos sobre o combate ao mosquito, além de dançar ao funk com o cantor Naldo Benny. Para o secretário estadual de Educação, Wagner Victer, o assunto precisa ser levado para as salas de aula em todo o estado.

- O combate ao mosquito tem tudo a ver com as práticas de cidadania que buscamos passar para os nossos estudantes. A campanha tem nosso total apoio, certamente o poder de convencimento e de mobilização da garotada serão fundamentais nessa missão, que é de todos nós - afirmou Victer.

Dezinho Contra o Aedes - O herói ganhou vida pelo traço do ilustrador e designer Luciano Freitas, da equipe da SES, e o objetivo é que possa ser utilizado por todas as prefeituras e outros órgãos que queiram promover o engajamento em ações de vigilância em Saúde. Materiais para imprimir - como panfletos e um jogo dos 10 erros interativo - e adesivos 'Morador Nota 10' para serem colados nas residências durante visitas dos agentes da Vigilância estão disponíveis com licença Creative Commons (sem limitações de direitos autorais) no site www.riocontraoaedes.com.br .

Além do material disponível no site, também estão livres para download tirinhas em quadrinhos com as aventuras do Dezinho e sua família, GIFs animadas e vídeos, para postar nas redes sociais e compartilhar pelo Whatsapp. Tudo com dicas de como combater o mosquito no dia a dia. O personagem também vai percorrer diferentes regiões do estado nas ações de prevenção à dengue, zika e chikungunya. Nas próximas semanas, os compromissos do Dezinho ainda incluem visitas a colégios estaduais, numa parceria da SES com a Secretaria de Estado de Educação.

 Agenda do Dezinho - Neste sábado (11/2), o personagem marca presença no mutirão de limpeza e combate ao mosquito da Colônia de Férias do Projeto Botinho, da comunidade da Praia da Rosa, na Ilha do Governador, a partir das 10h.

Dados - De acordo com a Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES, no período de 1º de janeiro a 1º de fevereiro, foram notificados 901 casos suspeitos de dengue, 47 casos de zika e um caso de chikungunya. As notificações foram compiladas a partir dos dados inseridos no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan) pelos municípios de todo o estado.

- A mobilização da sociedade é fundamental para evitar a proliferação do mosquito. Com uma vistoria completa em casa, uma vez por semana, é possível interromper o ciclo de reprodução do inseto, que pode ser de até dez dias. Sabemos que este é um mosquito de hábitos domésticos, portanto, é preciso que todos façam sua parte para benefício de toda a sociedade. É o que buscamos mostrar nesta campanha - conclui Alexandre Chieppe, subsecretário de Vigilância em Saúde.

Saiba mais sobre como combater o mosquito e informe-se sobre as doenças que ele transmite em www.riocontraoaedes.com.br ou bit.ly/dezinho



Crédito das fotos: Maurício Bazilio