Campanha Nacional de Multivacinação começa nesta segunda-feira (05/10)


Mais de 3,4 milhões de crianças e adolescentes do estado Rio de Janeiro poderão ser beneficiados pela Campanha Nacional de Multivacinação que começa nesta segunda-feira (05/10). Esta é a população do estado na faixa etária prevista para a campanha. O objetivo é atualizar a caderneta de todos entre 6 meses e 15 anos.

FOTO: DIVULGAÇÃO


A ação conjunta entre as Secretarias de Estado de Saúde (SES), a União e as Secretarias Municipais de Saúde (SMS) mobiliza cerca de 11 mil pessoas nos 92 municípios do Rio. Além disso, são utilizados cerca de 400 veículos terrestres e três marítimos para que os imunizantes cheguem aos pontos de vacinação no estado fluminense. As vacinas serão aplicadas nos postos municipais de Saúde da capital e do interior.

A campanha também contará com um Dia D de mobilização, em 17 de outubro. Nesta data, considerada o Dia Nacional da Vacinação, o chamado à população será intensificado para garantir um alcance maior da campanha.

As vacinas que integram a campanha

Todas as vacinas presentes nos calendários da criança e do adolescente são parte da Campanha Nacional de Multivacinação. No calendário da criança, que inclui a imunização de crianças de até 10 anos de idade, são 14 vacinas no total. São elas: BCG, Hepatite B, Penta (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e poliomielite), Pólio inativada, Pólio oral, Rotavírus, Pneumo 10, Meningo C, Febre Amarela, Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), Tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), DTP (tríplice bacteriana), Hepatite A e Varicela.

No calendário do adolescente há mais vacinas, além de reforços das imunizações feitas na infância. São elas: Hepatite B, Febre Amarela, Tríplice viral, Difteria e tétano adulto, DTPa, Meningocócica ACWY, HPV quadrivalente e Varicela.

Vacina de sarampo para adultos

Em conjunto com as vacinas da criança e do adolescente, também é oferecida imunização contra o sarampo para todos da faixa etária entre 6 meses e 59 anos. A medida tem como objetivo evitar a exposição desnecessária da população à Covid-19, aproveitando a ida do responsável pelas crianças à unidade de saúde para atualizar a própria situação vacinal.